personal trainer Algarve Portugal

Perder peso de forma rápida e drástica não resulta. Saiba porque?

Um estudo publicado no OBESITY realizado por investigafores do National Institutes of Health analisaram os concorrentes da oitava temporada do programa da temporada Biggest Loser Americano. Mediram o seu peso, gordura, metabolismo e hormonas tanto no final das 30 semanas no programa como seis anos depois, em 2015.

Em catorze participantes analisados, treze voltaram a engordar e quatro deles ganharam ainda mais peso do que quando entraram no programa. Segundo este estudo a principal causa é o metabolismo.

Investigadores têm vindo a analisar um fenómeno chamado “adaptação metabólica”. Enquanto perdemos peso a nossa taxa metabólica basal – energia utilizada para o corpo manter as funções básicas quando está em repouso – abranda. Então se o corpo está a gastar menos energia quando está em repouso, necessitamos de consumir menos calorias para manter o nosso peso. Os investigadores ainda não sabem porque é que isto acontece e não afecta toda a gente da mesma maneira.

O estudo do Biggest Loser mostrou que o metabolismo dos concorrentes ficou ainda mais lento. Os seus corpos só estavam a queimar cerca de 500 calorias diárias (o valor de uma refeição) a menos do que aquilo que era esperado do seu peso. E este efeito continuou mesmo quando estavam a voltar a engordar.

Para além do metabolismo, outra causa é a alteração de níveis de leptina no organismo. A leptina é a hormona responsável por regular a fome e por informar o cérebro sobre a quantidade de energia acumulada. Neste estudo, os investigadores notaram uma descida significativa desta hormona no sistema sanguíneo dos participantes. Ou seja, ao perder peso de forma drástica o corpo passa a libertar muito menos leptina e vai começar a ter a informação para aumentar o apetite. No final do programa a maioria dos concorrentes drenaram os níveis desta hormona, deixando-os com fome constantemente. Seis anos depois, só conseguiram recuperar 60% dos níveis que tinham antes do programa.

Ou Seja, perder peso de forma drástica e pouco saudável, interfere no teu organismo de uma forma que não há volta a dar. Ou seja, em vez de perderes peso, aumentas ainda mais o peso, e alteras o teu organismo para pior.

Como eu sempre digo, exercício fisico, estilo de vida saudável e boa alimentação são as melhores opções para perder peso.

Texto de João Martins

Retirado do Artigo da Revista Visão

Divulgação

Perder peso apenas com exercício não funciona.

Alguns estudos têm confirmado que os participantes tendem a perder mais peso apenas com dieta do que com apenas exercício.

O exercício tem inúmeros benefícios para a saúde, mas a perda de peso pode não estar entre eles. Isto é em parte por causa dos efeitos do exercício sobre a fome e o “apetite” das hormonas, que fazem com que as pessoas se sintam visivelmente com mais fome depois do exercício.

O outro problema com o exercício sem dieta, é que é cansativo e, novamente, o corpo vai compensar. Se estiver muito cansado por causa do exercício, durante o dia vai realizar menos movimentos e, provavelmente, torna-se mais sedentário. Algumas das calorias que queimamos vêm de movimentos básicos durante o dia logo, se estamos muito cansados, temos mais apetência para ficar no sofá a descansar. Ou seja, fazemos exercício para gastar energia, mas o exercício faz com que gastemos menos calorias no nosso dia-a-dia.

Outro estudo comparou duas populações diferentes, voluntários da tribo Hadza (Tanzânia), cujos membros ainda vivem da caça e coleta, e uma população masculina e feminina ocidental, e compararam a atividade física de cada população e relacionaram esses números através das mesmas medições.

Aquilo que se pensou foi que a população da tribo, por ser mais ativa, teria um metabolismo mais acelerado, queimando mais calorias, daí ser menos obesa que a população ocidental. Mas não era verdade que eles estavam queimando mais calorias. Os cientistas calcularam a taxa metabólica média dos Hadzabe, e o número de calorias que eles queimavam ao longo de um dia, e foi aproximadamente o mesmo que a média da taxa metabólica e calorias gastas pelos ocidentais.

Daí os cientistas concluíram que um estilo de vida ativo, não nos vai impedir de ficarmos obesos, mas sim a relação entre a energia que consumimos e a energia que gastamos.

Ou seja, através destes 2 estudos podemos concluir que o exercício físico é muito mais importante para a saúde das pessoas do que para o objetivo de perda de peso.

Segundo Michael Jensen, MD at the Mayo Clinic “O exercício é muito, muito importante para a manutenção do peso perdido, e as pessoas que não são fisicamente ativas são mais propensos a ganhar peso.”

Por isso se tem como objetivo perder peso, o ideal é realizar exercício físico, pois ele traz muitos benefícios de saúde ao nosso organismo e ajuda no gasto de mais energia, fazer uma dieta funcional que se adeque às suas necessidades e ao seu organismo, e adotar estilos de vida saudáveis.

É este o meu método, e só assim consigo atingir resultados com os meus clientes.

Texto de João Martins