joao martins personal trainer algarve

Sabia Que…

Níveis de aptidão física baixa e valores altos de gordura corporal em crianças podem levar a artérias rígidas, primeiro sinal de doença cardíaca.

Um estudo realizado pelo Instituto de Biomedicina da Universidade do Leste da Finlândia, a Atividade Física e Nutrição no Estudo «Crianças», mostrou que baixos níveis de atividade física, aptidão física mais fraca e maior gordura corporal estão associados aos primeiros sinais de doença cardiovascular.

De facto, o estudo mostrou que as crianças com fraca aptidão física, em conjunto com uma percentagem de gordura corporal elevada ou baixos níveis de atividade física, também tinham as artérias mais rígidas. Em comparação, as crianças que estavam mais ativas fisicamente ou que tiveram a melhor aptidão física tinham as artérias mais flexíveis e melhor capacidade de dilatação arterial. Em geral, a pesquisa aponta para o facto de que uma intervenção no estilo de vida na infância poder reduzir o risco de doenças cardiovasculares mais tarde na vida de adulto. Além disso, o estudo destacou que a maior aptidão física de uma criança, melhora a sua saúde arterial. Isto sugere que incentivar as crianças a praticar exercícios de alta intensidade, seja em eventos desportivos organizados, ou durante atividades de lazer, pode ser benéfico para a saúde arterial do jovem.

Este estudo foi publicado no Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports.

Texto de João Martins

Artigos Relacionados : As crianças comem mais quando estão tristes | Uma hora por dia em frente a TV aumenta o risco de sobrepeso em crianças

personal trainer Algarve

Sabia que …

Uma hora por dia em frente à TV aumenta o risco de sobrepeso em crianças.

Um estudo realizado nos EUA com crianças entre os 5 e 8 anos de idade mostra que um pequeno período de uma hora a ver televisão está associado a um maior risco de obesidade (47%), em relação aos que passam menos tempo em frente à televisão.

A conclusão contraria as diretrizes da American Academy of Pediatrics. A instituição recomenda que as crianças passem no máximo duas horas por dia em frente à televisão. Mark DeBoer, professor de pediatria e coordenador do estudo espera que os seus dados possam ajudar a mudar essa indicação até uma hora diária.

A obesidade infantil é um problema de saúde pública. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2013, 42 milhões de crianças com menos de cinco anos estavam acima do peso.Entre as crianças portuguesas, a OMS apresenta os seguintes valores: com sete anos de idade 40,5% dos rapazes e 35,5% das raparigas têm excesso de peso. A obesidade, na mesma faixa etária, é menor, 16,7% e 12,6%, respetivamente.

É essencial estimular as crianças a realizarem atividade física e a serem mais ativas, o futuro delas agradece.

Texto de João Martins

Artigo Relacionado : Sabia que, estudo relaciona falta de sono e obesidade infantil