joao martins personal trainer algarve

Mitos de alimentação e nutrição

Hoje em dia há muita desinformação sobre alimentação/nutrição, a internet tem muita informação mas muita não tem bases científicas, outras são mitos da sociedade e de factos muito pouco precisos. Essa informação só contribui para a confusão dos consumidores sobre as escolhas que são mais saudáveis.

Veja alguns dos mitos mais populares da alimentação/nutrição:

1º MitoÉ necessário desintoxicar o corpo com batidos/sumos. Uma grande parte da sociedade acredita que se deve desintoxicar o corpo uma vez por semana seja através do jejum, ou através de sumos desintoxicantes. Há poucas provas que comprovem esta teoria. Essa desintoxicação irá deixá-lo mal-humorado e com fome, nada mais que isso. Se quer realmente sentir-se melhor, opte por uma dieta saudável e evite bebidas alcoólicas e comidas processadas.

2º MitoAlguns alimentos têm calorias negativas. São considerados por algumas pessoas alimentos com calorias negativas, aqueles alimentos que gastam mais energia na sua digestão do que a energia que eles contêm ou libertam (esta ideia é baseada pelo efeito térmico dos alimentos). O único problema nesta teoria é que o efeito térmico dos alimentos normalmente varia entre 10 a 20 por cento das calorias do alimento, ou seja, se um aipo tem 7 calorias, a sua digestão gastará à volta de 2 calorias, ou seja, não há calorias negativas.

3º MitoDemoramos 21 dias para quebrar um mau hábito, ou formar um novo. A verdade é que não há nenhum período mágico para quebrar maus hábitos. Um estudo que avaliou a mudança de comportamentos comprovou que a criação de um novo hábito, como comer uma peça de fruta por dia, teve uma média de 66 dias a tornar-se um hábito. No entanto, durante o estudo, houve várias variações, entre os 18 e os 254 dias. O estudo descobriu que o tempo de adaptação estava relacionado com a dificuldade que a própria pessoa tem com esse comportamento, ou seja, hábitos e rotinas novas podem não acontecer durante os 21 dias, depende sempre se esse hábito ou rotina é algo difícil de realizar para si.

4º MitoGordura transforma-se em músculo. Os tecidos musculares e adiposos são completamente diferentes, logo eles nunca se podem transformar um no outro. O que acontece quando treinamos e temos uma alimentação saudável, é que aumenta o tecido magro no organismo e queima o excesso de gordura corporal, mas não vai substituir gordura por massa muscular.

5º MitoNozes são muito calóricas por isso engordam. É verdade que as nozes contem muita gordura, mas é uma gordura boa. Pesquisas recentes sugerem que a ingestão de nozes como parte de uma dieta saudável pode ajudá-lo a perder peso. Os investigadores acreditam que a gordura das nozes ajuda as pessoas a sentirem-se saciadas e a proteína ajuda a libertar uma hormona que tem o efeito de reduzir a fome. Além disso, as nozes são uma excelente fonte de fibras e fornecem muitos nutrientes como vitamina E, magnésio, folato e cobre.

Esqueça estes mitos, e opte por uma alimentação saudável.

Texto de João Martins

Artigos relacionados : Mitos relacionados com exercício físico 

joao martins personaltrainer

Sabia que …

As férias escolares atrapalham rotina de hábitos saudáveis.

Um estudo realizado na Universidade de Columbia e publicado na última edição da revista científicaJournal of School Health demonstrou que, no período de férias escolares, as crianças e os adolescentes consomem mais açúcar e menos vegetais. Além disso, os jovens também ficam mais tempo em frente à televisão do que No resto do ano.

Segundo estes resultados, o comportamento dos alunos era pior, independentemente da rendimento familiar. Nas férias, eles assistiam, em média, 20 minutos a mais de programas televisivos e consumiam 85 gramas a mais de açúcar do que estão acostumados na rotina disciplinada. Curiosamente, a quantidade de atividade física não mudou significativamente: eles praticavam apenas cinco minutos a mais de exercícios em comparação ao período letivo.

“O ambiente escolar é essencial para estimular hábitos saudáveis nos jovens, como alimentação comedida e atividade física”, disse Claire Wang, uma das principais autoras do estudo. “A partir dos nossos resultados, percebemos que as estratégias para prevenir a obesidade devem ser ampliadas para não ter efeito somente durante o ano letivo”.

Texto de João Martins

Artigos relacionadosAs bebidas energéticas fazem mal as crianças | Uma hora por dia em frente a TV aumenta or isco de sobrepeso das crianças

sentadossss

Sabia que …

Estar sentado pode anular os benefícios do exercício físico.

A maioria de nós sabe que precisamos ser mais ativo fisicamente. Só 36% da população portuguesa faz exercício físico (ler mais).

De acordo com um novo relatório publicado no Annals of Internal Medicine. Os benefícios do exercício podem ser anulados se você também passar a maior parte do resto de seu dia sentado.

Dr. David Alter, especialista em coração, da Universidade de Toronto e cientista sênior do Instituto de Reabilitação de Toronto, descobriu que estar sentado muito tempo, mesmo entre as pessoas que se exercitam regularmente, leva a maiores taxas de hospitalização, doenças cardíacas e cancro, assim como a morte precoce. Os investigadores analisaram 47 estudos onde perguntaram às pessoas quanto tempo passavam sentados e a fazer exercício, bem como taxas de doenças cardíacas, diabetes, cancro e morte por qualquer causa. Quanto mais tempo as pessoas passavam com um estilo de vida sedentário -como assistir TV ou deitados num sofá -maior o risco de todos esses resultados negativos. Pessoas com excesso de peso que se sentam muito apresentaram um risco 90% maior de desenvolver diabetes do que aqueles que se sentaram menos, uma chance de 18% maior de morrer de doenças cardíacas ou cancro, e 24% mais chances de morrer de qualquer causa. Essas taxas foram a média entre as pessoas que fazem exercício regularmente e aqueles que não o fazem exercício regularmente.

Fazer apenas exercício não chega, é necessário ter hábitos de vida saudáveis.

Texto de João Martins

tumblr_static_tumblr_mikl44ucbp1rxlj8po1_500

Artigo opinião

Respostas a quem quer quebrar a sua alimentação e hábitos de vida saudável.

Quando você é espicaçado por causa da sua alimentação ou dos seus hábitos saudáveis, não responda de forma bruta e zangada.

A pressão do dia a dia, e da opinião das pessoas em nosso redor é muito grande e as vezes esquecemo-nos que somos nós os responsáveis pelas nossas decisões, pois somos nos que lidamos com os resultados das nossas escolhas.

Muitas vezes as pessoas criticam os nossos hábitos saudáveis, porque se sentem ameaçados ou muitas vezes por ciúme, e a nossa melhor resposta é não tentar dissuadi-los da opinião deles, nem argumentar ou criar tema de discussão, a nossa alimentação.

Em seguida algumas das frases que mais ouvimos e às vezes não sabemos responder ou arrependemos daquilo que responde-mos.

-Frases relacionadas com opções de comida:

“ não gostas desta carne, como é possível”, “sabes que necessitas de proteína, tens que comer carne”. Em vez de explicar que há outras fontes de proteína, e de alguns dos malefícios da ingestão excessiva da carne, você pode responder apenas e só “o meu hambúrguer vegetariano é espetacular, devias experimentar, acho que ias gostar”. Assim a pessoa fica sem argumento, pois você não contra argumentou o que ele disse, não há discussão e ele fica sem saber o que responder.

- Frases relacionadas com o seu aspeto:

“Não comas não, qualquer dia cais para ao lado”, estás tão magro, quanto é que pesas”, “já paravas de treinar, qualquer dia desapareces”. Mais uma vez não vamos entrar em confronto e podemos deixar uma mensagem no ar “Obrigado por estares preocupado com a minha saúde, mas não precisas de te preocupar, o meu médico disse que estou muito bem, e para continuar os meus hábitos alimentares saudáveis e de exercício” . Quando relacionado apenas com a frequência o ginásio podemos responder “ deixar o ginásio sinto-me cada vez melhor e com mais energia desde que tenho ido ao ginásio regularmente”. Mais uma vez deixamos uma mensagem no ar.

- Frases relacionadas com sobremesas:

“uma vez podes deixar de ser saudável?”, “dividimos a sobremesa, assim dividimos as calorias”. Facilmente você responde, “estou muito cheio, obrigado fica para a próxima”. Se for à hora de almoço, está frase também fica bem “tenho um ótimo jantar programado esta noite, não me quero encher ao almoço, para ter espaço para o jantar”.

Frases relacionadas com bebidas alcoólicas :

vá-la, só uma bebida, não te vai fazer mal”, “agora também és anti álcool”. A melhor resposta “ não, assim eu levo o carro e vocês podem beber a vontade”. Caso haja outra pessoa que já se tenha oferecido para levar o carro pode sempre dizer “não me sinto muito bem hoje, fica para a próxima”.

As pessoas provavelmente até podem não dizer estas frases por mal, mas custa-nos as vezes ouvir (principalmente quando repetidas vezes sem conta) e a melhor forma de responder é não confrontar, nem fazer o mesmo que eles nos tentam fazer, ou seja, tentar mudar a alimentação deles e os seus hábitos de vida.

Texto João Martins

 

 

 

 

 

weekend-pubslush-hotminute

Dicas para superar os excessos do fim-de-semana

Após uma semana de refeições rigorosas, e exercícios duros, é fácil sentir que merece uma pausa e que pode e deve relaxar um bocado e comer e beber aquilo que mais gosta.

De acordo com um estudo da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, as pessoas com idades compreendidas entre os 19 e os 50 anos consomem cerca de 115 calorias a mais no fim de semana (considera-se fim de semana, o fim de tarde de sexta, sábado e domingo). “Essas 300-400 calorias extras significam 17.940 calorias extras (cerca de 5 quilos) até ao final do ano”, diz Barry Popkin, Ph.D., autor principal do estudo. O mesmo estudo diz que este aumento de calorias advem, principalmente, do consumo de álcool e gorduras.

Mesmo assim, as calorias extras não têm que se transformar em gordura, dizem os especialistas. A chave está em queimar mais calorias do que aquelas que consome. Isso significa encontrar formas ativas para relaxar – como caminhada rápida, jogar ténis, mesmo jardinagem – em vez de ficar o dia e noite em frente da televisão. Enquanto a atividade física pode ser a resposta óbvia, dizem os especialistas, existem outros truques que podem ajudá-lo a superar o hábito de excesso fim de semana:

Comece bem o dia – Comer um pequeno-almoço saudável e rico em proteína ao fim de semana (pois tem mais tempo para fazer um bom pequeno almoço). Um estudo da University of Missouri-Columbia comprova que um pequeno-almoço rico em proteína ajuda a controlar o apetite durante o dia.

Coma várias vezes ao dia – não fique à espera do jantar para se desforrar de não ter comido durante o dia. Sempre que sair de casa leve algo para comer entre as refeições.

Coma devagar - “demora cerca de 15-20 minutos para o seu cérebro sinalizar que o seu estômago está cheio, por isso não tenha pressa”, explica LiveScience.com.

Comece pela sopa – se for ao restaurante, peça primeiro uma sopa, e só depois faça o pedido do prato seguinte. O seu pedido vai ser mais pequeno do que se o fizesse ao mesmo tempo.

Divida o prato principal – Dividir o prato principal com um amigo é uma ótima forma de reduzir o consumo de calorias durante o fim-de-semana.

Não evite a sobremesa mas partilhe – Escolha algo que é realmente agradável para si e divida com um amigo. Cuidado com o tamanho das sobremesas peça para corta uma fatia fina, ou então divida a sobremesa com as pessoas da mesa.

Evite exageros com o álcool – Evite beber muito álcool. Evitar um copo de vinho ou uma cerveja equivale a não ingerir 150 Kcal. Vários estudos confirmam que pessoas que bebem mais tendem a comer mais também. (The American Journal of Clinical Nutrition.)

Substitua refrigerantes por água – Não só a ingestão de refrigerantes aumenta muito o consumo de kcal, como também contem muito açúcar o que estimula o apetite.

Estes são alguns hábitos que podem diminuir a sua ingestão calórica durante o fim-de-semana, mas lembre-se, não são apenas estes hábitos que o vão fazer perder peso, mas sim um estilo de vida saudável onde esteja presente uma alimentação saudável e equilibrada, e o exercício físico.

Texto de João Martins