joao martins personal trainer algarve

Mitos de alimentação e nutrição

Hoje em dia há muita desinformação sobre alimentação/nutrição, a internet tem muita informação mas muita não tem bases científicas, outras são mitos da sociedade e de factos muito pouco precisos. Essa informação só contribui para a confusão dos consumidores sobre as escolhas que são mais saudáveis.

Veja alguns dos mitos mais populares da alimentação/nutrição:

1º MitoÉ necessário desintoxicar o corpo com batidos/sumos. Uma grande parte da sociedade acredita que se deve desintoxicar o corpo uma vez por semana seja através do jejum, ou através de sumos desintoxicantes. Há poucas provas que comprovem esta teoria. Essa desintoxicação irá deixá-lo mal-humorado e com fome, nada mais que isso. Se quer realmente sentir-se melhor, opte por uma dieta saudável e evite bebidas alcoólicas e comidas processadas.

2º MitoAlguns alimentos têm calorias negativas. São considerados por algumas pessoas alimentos com calorias negativas, aqueles alimentos que gastam mais energia na sua digestão do que a energia que eles contêm ou libertam (esta ideia é baseada pelo efeito térmico dos alimentos). O único problema nesta teoria é que o efeito térmico dos alimentos normalmente varia entre 10 a 20 por cento das calorias do alimento, ou seja, se um aipo tem 7 calorias, a sua digestão gastará à volta de 2 calorias, ou seja, não há calorias negativas.

3º MitoDemoramos 21 dias para quebrar um mau hábito, ou formar um novo. A verdade é que não há nenhum período mágico para quebrar maus hábitos. Um estudo que avaliou a mudança de comportamentos comprovou que a criação de um novo hábito, como comer uma peça de fruta por dia, teve uma média de 66 dias a tornar-se um hábito. No entanto, durante o estudo, houve várias variações, entre os 18 e os 254 dias. O estudo descobriu que o tempo de adaptação estava relacionado com a dificuldade que a própria pessoa tem com esse comportamento, ou seja, hábitos e rotinas novas podem não acontecer durante os 21 dias, depende sempre se esse hábito ou rotina é algo difícil de realizar para si.

4º MitoGordura transforma-se em músculo. Os tecidos musculares e adiposos são completamente diferentes, logo eles nunca se podem transformar um no outro. O que acontece quando treinamos e temos uma alimentação saudável, é que aumenta o tecido magro no organismo e queima o excesso de gordura corporal, mas não vai substituir gordura por massa muscular.

5º MitoNozes são muito calóricas por isso engordam. É verdade que as nozes contem muita gordura, mas é uma gordura boa. Pesquisas recentes sugerem que a ingestão de nozes como parte de uma dieta saudável pode ajudá-lo a perder peso. Os investigadores acreditam que a gordura das nozes ajuda as pessoas a sentirem-se saciadas e a proteína ajuda a libertar uma hormona que tem o efeito de reduzir a fome. Além disso, as nozes são uma excelente fonte de fibras e fornecem muitos nutrientes como vitamina E, magnésio, folato e cobre.

Esqueça estes mitos, e opte por uma alimentação saudável.

Texto de João Martins

Artigos relacionados : Mitos relacionados com exercício físico 

bicicleta

Sabia que …

Ir a pé, de bicicleta ou de transportes públicos para o trabalho em vez do carro, pode ajudar a emagrecer até 7 quilos.

Um estudo publicado no Journal of Epidemiology & Community Health, demonstra que a perda de peso está associada a percursos de pelo menos 30 minutos diários.

Ou seja, substituir o carro no trajeto para o trabalho por outros meios de transporte como bicicleta, caminhada e até mesmo transporte público, pode resultar na perda de até sete quilos em dois anos.

Durante o período de dois anos, os participantes deram informações sobre seu peso, altura, hábitos de vida e o principal meio de transporte utilizado para ir para o trabalho. Dos 3 269 voluntários, 109 tinham trocado o carro pela bicicleta, ou pela caminhada e 70 deles pelo transporte público. De forma geral, os pesquisadores descobriram que Daqueles que optaram pela mudança, houve uma redução de pelo menos um quilo no peso corporal original. Quanto maior a distância do trajeto, maior o emagrecimento, claro. Os estudiosos chegaram à conclusão de que é possível perder, sim, até sete quilos em dois anos, se o percurso for de, pelo menos, 30 minutos.

E você vai para o trabalho como? Está disposto a mudar o seu meio de transporte para o trabalho?

Texto de João Martins

Artigos Relacionados : Durante o Inverno é mais difícil manter o peso | Jogging ajuda os idosos a manter a sua capacidade de caminhar

joao martins personal trainer algarve

Formas de evitar a ansiedade de comer fora de horas

Infelizmente muitos dos nossos hábitos diários fazem-nos ter desejos de comer fora de horas e normalmente saciamos essa vontade petiscando ou optando por comida muito calórica em vez de opções mais saudáveis. Esta vontade pode ser tanto do foro psicológico como do fisiológico.

Algumas formas de evitar essa ansiedade:

1º Olhar ao relógio – Se reparar que esteve mais de 3 a 4 horas sem comer, irá sentir vontade de comer, pois o açúcar no sangue diminuiu e é passada a informação ao cérebro que necessitamos de comida. Como o nível do açúcar está muito baixo, irá sentir vontade de comer muito. Se evitar este tempo todo sem comer, e comer de 3 em 3 horas, vai conseguir regular o açúcar no sangue, e vai diminuir e muito a vontade de comer muito. Opte sempre por lanches pouco calóricos e que contenham proteína, HC complexos e gorduras saudáveis.

2º Comer proteína – A proteína ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, pois torna a digestão dos alimentos mais lenta. A proteína também vai ajudá-lo a sentir-se mais cheio, pois estimula a produção de colecistoquinina (hormona relacionada com as sensação de saciedade). Inclua sempre nas suas refeições proteína com baixo teor de gordura.

3º Beber mais água - A desidratação pode causar vontade de comer alimentos salgados. Beba no mínimo 1,5 litros de água, mantenha sempre uma garrafa de água junto de si ao longo do dia e mesmo que não tenha vontade de beber água, obrigue-se a beber água.

4º Reduza a ingestão de alimentos processados – Alguns estudos sugerem que as pessoas podem ficar viciadas quando comem muitos alimentos processados, como pão branco, massas, açúcar branco, etc. Eliminar alimentos processados da sua dieta pode ajudar a controlar os seus desejos por petiscar. Substitua os alimentos refinados por alimentos integrais ricos em fibra e proteína, nozes, feijão, legumes, frutas, verduras, etc.

5º Distraia-se quando lhe dá a vontade de comer fora de horas – Quando tem vontade de comer qualquer coisa fora de horas distraia-se fazendo algo diferente, por exemplo jogar um jogo no telemóvel, dar uma pequena caminhada de 10 minutos, ler um livro, etc.

6º Evite ter tentações perto de si – Se desejar um doce, mas não o tiver perto de si, a vontade pode diminuir, pois o esforço para ter algo que deseja pode sobrepor-se à vontade de o ter. Ou seja, evite comprar doces ou alimentos pouco saudáveis, senão conseguir isso porque alguém em casa compra, peça-lhe para os esconder. “Longe da vista, longe do estomago”.

Estas são algumas dicas que vos deixo para vos ajudar a reduzir a ansiedade de comer fora de horas, podendo, assim, manter a sua alimentação saudável, sem sobressaltos.

Texto João Martins

Artigos Relacionados :Diferença entre apetite e fome | Os maiores erros que as pessoas cometem quando querem perder peso

joao martins personal trainer

Sabia que …

Que as crianças comem mais quando estão tristes

Uma pesquisa publicada pela revista científica The American Journal of Clinical Nutrition realizada com crianças entre os cinco a e os sete anos de idade, revelou que as crianças podem comer em excesso quando estão aborrecidas, especialmente se a família costuma utilizar a comida como forma de recompensa.

As investigadoras afirmam que comer durante situações de tristeza e de stress não é uma ação comum do comportamento humano. Pelo contrário, esse tipo de situação, normalmente, induz à falta de apetite. Se os resultados do estudo mostram que as crianças reagiram à tristeza e ao stress exagerando na comida isso significa, provavelmente, que esse comportamento foi adquirido em casa, através da educação recebida.

Isso significa que os resultados do estudo mostram que as crianças que reagiram à tristeza e ao stress exagerando na comida provavelmente aprenderam a ter esse tipo de comportamento por causa da educação que receberam em casa.

Texto João Martins

Artigos relacionados : As férias escolares alteram atrapalham rotina de hábitos saudáveis | Estudo relaciona falta de sono e obesidade infantil 

joao martins personal trainer

O que costuma fazer depois de treinar?

O que faz depois de um treino é tão importante quanto o que faz durante o treino. Se fizer alguns destes erros pós-treino (erros comuns) pode estar a sabotar o seu treino.

Erros que deve evitar:

1º “Comer como treinou”.A Alimentação pós treino é essencial para manter o corpo em forma e saudável. Seja consciente na sua ingestão de alimentos pós treino, inclua as calorias após o treino no seu plano total de calorias por dia. Escolha um lanche pós treino saudável que O reabasteça de hidratos de carbono e proteína. Vai-se sentir satisfeito depois de comer um lanche saudável.

2º “Não alongar”.A maior parte das pessoas não alonga, ou alonga no banho. O alongamento após o treino é essencial para manter as articulações saudáveis, músculos saudáveis, prevenir lesões, diminuir o ritmo cardíaco e reduzir o stress. Estruture o alongamento no seu treino da mesma forma que o faz com os abdominais, o cardio, ou os exercícios de força.

3º ”Bebida desportiva após o treino.”Uma garrafa Pro series Gatorade contém 330 calorias. O que deve fazer é hidratar-se com água. É verdade que após o treino é essencial a reposição de eletrólitos, mas, nesse caso, opte por uma bebida isotónica ou hipotónica, que normalmente têm poucas calorias e têm os eletrólitos essenciais para a recuperação.

4º “Como treinei posso comer o que quiser ao almoço ou jantar”. A alimentação tem muita importância nos seus resultados de treino, mas Pode estragar um treino só com uma má refeição. Mantenha a sua dieta porque o facto de ter treinado, torna ainda mais essencial ingerir boa proteína (peixe ou carne) em dias de treino, alguns hidratos para ajudar a encher as reservas de energia, evitar o álcool e beber muita água.

5º “Não marcar o próximo treino”. O erro mais comum das pessoas que estão apenas a começar a treinar ou que treinam poucas vezes. Às vezes saímos do ginásio muito bem, mas no dia a seguir estamos com muitas dores, e essas dores fazem com que pensemos em não ir ao ginásio. Se marcar o próximo treino logo após o treino, na altura que se sente bem, irá criar mais compromisso com o treino.

6º “Não comer depois do treino”. Como foi dito no 1º ponto, não devemos encher a barriga, mas também não devemos não comer. É essencial não nos enchermos de calorias após o treino, mas não comer pode diminuir o nosso metabolismo, diminuindo a capacidade de armazenamento dos nutrientes. Um batido de proteína (de preferência Whey), um ovo cozido, uma fruta com frutos secos são boas opções depois de um treino. É essencial uma boa dose de proteínas e hidratos de carbono para recuperar e equilibrar o seu corpo e manter o seu metabolismo alto. Certifique-se se essas calorias consumidas fazem parte do seu plano diário de calorias

Aproveita estas dicas para otimizar os seus resultados após o treino.

Texto de João Martins

Artigos relacionados : Dicas para realizar treinos ao ar livre | Mesmo quem faz treino intenso, necessita de uma dieta adequada

joao martins personaltrainer

Sabia que …

As férias escolares atrapalham rotina de hábitos saudáveis.

Um estudo realizado na Universidade de Columbia e publicado na última edição da revista científicaJournal of School Health demonstrou que, no período de férias escolares, as crianças e os adolescentes consomem mais açúcar e menos vegetais. Além disso, os jovens também ficam mais tempo em frente à televisão do que No resto do ano.

Segundo estes resultados, o comportamento dos alunos era pior, independentemente da rendimento familiar. Nas férias, eles assistiam, em média, 20 minutos a mais de programas televisivos e consumiam 85 gramas a mais de açúcar do que estão acostumados na rotina disciplinada. Curiosamente, a quantidade de atividade física não mudou significativamente: eles praticavam apenas cinco minutos a mais de exercícios em comparação ao período letivo.

“O ambiente escolar é essencial para estimular hábitos saudáveis nos jovens, como alimentação comedida e atividade física”, disse Claire Wang, uma das principais autoras do estudo. “A partir dos nossos resultados, percebemos que as estratégias para prevenir a obesidade devem ser ampliadas para não ter efeito somente durante o ano letivo”.

Texto de João Martins

Artigos relacionadosAs bebidas energéticas fazem mal as crianças | Uma hora por dia em frente a TV aumenta or isco de sobrepeso das crianças