Exercício Físico e sintomas da MenoPausa, há ou não melhorias nos sintomas

Fale com uma mulher que esteja na menopausa e provavelmente ouvirá reclamações sobre calores, retenção de líquidos e incapacidade de perder peso, especialmente a gordura da barriga. Um novo estudo mostra como o exercício regular pode ajudar a reduzir o peso e controlar sintomas incômodos, como os calores, mesmo em mulheres que levavam estilos de vida sedentários.

A redução dos níveis de estrogênio e progesterona durante a transição da menopausa cria, geralmente, uma série de problemas de saúde física e mental que prejudicam a qualidade de vida geral da mulher.

Os resultados do estudo publicados online no jornal da The North American Menopause Society (NAMS) comprovaram que as participantes sentiram mudanças positivas na saúde física e mental a curto e longo prazo, incluindo melhorias significativas na aptidão cardiovascular e flexibilidade. Além disso, alcançaram reduções modestas, mas significativas no peso e índice de massa corporal e os seus calores foram gerenciados de forma eficaz. Esta é uma boa notícia especialmente para mulheres que evitam usar hormonas para controlar os sintomas da menopausa e procuram opções não farmacológicas seguras, mas eficazes, sem efeitos adversos.

“Cada vez mais evidências indicam que um estilo de vida ativo, com exercícios regulares, melhora a saúde, a qualidade de vida e o condicionamento físico em mulheres na pós-menopausa”, disse a Dra. Joann Pinkerton, diretora executiva da NAMS.

Esteja ou não na fase da menopausa, treine e faça exercício físico, os benefícios são, não só durante a fase da menopausa, como em qualquer outra fase. Lembre-se que deve sempre treinar respeitando a individualidade e, de preferência, com a supervisão de um profissional credenciado.

Bons Treinos

Celulite: prevenção ou cura?

Tem celulite?

Não é a única! A celulite é tão comum como a informação que as pessoas têm sobre ela.

A celulite é um estado em que a pele parece ter áreas com depósitos de gordura subjacentes, dando-lhe uma aparência irregular, com covinhas. É mais percetível nas nádegas e coxas e ocorre geralmente após a puberdade.

As causas da celulite não são bem compreendidas, mas existem várias teorias que têm sido formuladas como explicações. Por exemplo:

Fatores hormonais – As hormonas provavelmente desempenham um papel importante no desenvolvimento da celulite. Muitos acreditam que o estrogênio, insulina, noradrenalina, hormônios da tiroide e prolactina são parte do processo de produção de celulite.

Genética – certos genes são necessários para o desenvolvimento da celulite. Genes podem predispor um indivíduo com as características específicas associadas com a celulite, tais como género, raça, metabolismo lento, distribuição da gordura logo abaixo da pele, e insuficiência circulatória.

Dieta – pessoas que comem muita gordura, sal, hidratos de carbono e pouca fibra são mais suscetíveis de ter mais celulite.

Fatores de estilo de vida – a celulite pode ser mais dominante em fumadores, naqueles que não fazem exercício físico e naqueles que passam muito tempo sentados ou ficam longos períodos na mesma posição.

Roupa – com elástico apertado entre os glúteos (que limitam o fluxo de sangue) pode contribuir para a formação de celulite.

Existem vários métodos terapêuticos, mas nenhum deles está provado cientificamente que funcionam, por isso É melhor prevenir o aparecimento da celulite, do que tentar fazê-la desaparecer.

A celulite pode ser prevenida, através de uma dieta saudável e equilibrada, onde haja uma ingestão de alimentos ricos em gorduras saudáveis (ómega 3 e 6), muitas frutas e verduras e alimentos ricos em fibra. É também muito importante beber muita água. A prática de exercício físico regularmente pode ajudar a prevenir ou a reduzir a celulite, porque a celulite aparece quando as fibras conjuntivas debaixo da pele se tornam fracas ou perdem a elasticidade, mas o alongamento e fortalecimento dessas áreas pode ajudar a dar firmeza e tonificar os músculos (além de queimar o excesso de gordura em geral) e, por sua vez, apertar a pele, dando a ilusão de que a celulite é menos percetível.

Mais uma vez, a prevenção é a melhor ferramenta.

Texto João Martins